Campanha Salarial 2016 é apresentada em Assembleia

Campanha Salarial 2016 é apresentada em Assembleia

Na manhã desta quarta-feira (15), na sede da Adeppe, foi realizada a primeira Assembleia Geral Extraordinária de 2016, para tratar da Campanha Salarial da categoria. Na presença dos delegados e delegadas de Pernambuco, o presidente da Associação, Francisco Rodrigues, iniciou uma explanação sobre as ações que vão ser tomadas neste processo e apresentou um esboço do que já foi levado para a mesa de negociação.

Francisco ressaltou que, não obstante as dificuldades que vão enfrentar diante da conjuntura atual, os direitos da categoria precisam ser respeitados, pois apesar de toda deficiência estrutural existente, os Delegados vêm conseguindo obter resultados positivos. Em contrapartida, enfrentam a pior remuneração do país.

“A diretoria da Adeppe, com o apoio dos delegados e delegadas, vai tratar do assunto com muita cautela, respeitando, principalmente, a população que é a que mais sofre com o descaso do governo perante a segurança pública. Nossa campanha salarial é mais do que justa. Nós não vamos abrir mão da nossa luta”, comentou o presidente a Adeppe.

A vice-presidente da Adeppe, Sylvana Lellis, também fez considerações fundamentais para a Campanha Salarial 2016. “A dificuldade de tratar com o governo é grande, mas temos espaço para colocar nossas reivindicações e debater com os representantes do estado. Nós sabemos da importância das nossas funções e não podemos baixar a cabeça diante do salário que temos, tendo como parâmetro os salários dos outros estados da federação”, disse Sylvana.

Na ocasião, diante das perguntas realizadas pelos delegados presentes, foi esclarecido, também, o andamento da construção da Lei Orgânica da Polícia Civil. A Diretora Andrea Busch faz parte da comissão de elaboração da L.O. posicionou os colegas sobre o andamento dos trabalhos: “estamos em um longo e trabalhoso processo de construção da Lei Orgânica da Polícia Civil. O prazo para a conclusão foi renovado e teremos mais 90 dias para apresentar a conclusão. Estamos pensando em cada detalhe para que fique tudo da melhor forma”, esclareceu Andrea.

Eleição interna para Chefia de Polícia, através de lista tríplice e a volta da Acadepol para o seio da Polícia Civil são algumas das mudanças previstas no projeto.