Tribunal de Justiça defere liminar em ação impetrada pela Adeppe e suspende portaria 34/2018

Tribunal de Justiça defere liminar em ação impetrada pela Adeppe e suspende portaria 34/2018

Meus amigos, companheiros de luta, colegas de trabalho, incansáveis guerreiros, boa tarde.

O Escritório Ponzi e Duque, representado pelos Advogados Leonardo Duque, Felipe Alecrim e Marcelo Siqueira, alcançou, no Tribunal de Justiça de Pernambuco, em caráter liminar, o reconhecimento da ilegalidade da Portaria 34/18. Esta decisão confirma o que nós sempre ressaltamos e não somos compreendidos. A Associação dos Delegados tem sua atuação estritamente limitada à defesa das prerrogativas da classe, inclusive quando são elas violadas por integrantes da própria classe, prevalecendo, nesse caso, o interesse da maioria. Esse é o verdadeiro processo democrático.

A realização de uma assembleia, tendo como pauta a Portaria 34/18, deveria servir de objeto para uma conversa amigável, com intuito conciliatório, mas não houve nenhuma manifestação da administração nesse sentido.

Mais uma vez, ressalto que a instauração desse Processo Administrativo Disciplinar Especial (PADE) representa uma afronta a toda a classe dos Delegados de Polícia, pois carece de embasamento legal que justifique a persecução de pena por atuação sindical.

Mais uma vez, afirmamos que a Adeppe se coloca à disposição da Administração para discutir os termos da revogada Portaria 34/18, com o propósito de revisitar seu conteúdo, ajustando as inconformidades legais e constitucionais, tudo com a finalidade precípua de promover o bom andamento dos trabalhos de polícia judiciária, aliada ao respeito irrestrito às prerrogativas da Polícia Civil.

 

Francisco Rodrigues

Presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Pernambuco

 

thumbnail of Adeppe Liminar thumbnail of RECOMENDACAO-19.03.18-1