NOTA À IMPRENSA

NOTA À IMPRENSA

A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco repudia vigorosamente as recentes manifestações veiculadas na imprensa, tentando macular a irretocável investigação produzida pela Polícia Civil de Pernambuco, através da Delegacia de Crimes Contra a Administração Pública, que visa sanar ações lesivas ao patrimônio público. A ADEPPE esclarece que as investigações foram iniciadas por requisição do Ministério Público de Pernambuco, instituição apartidária, honrada e prestigiada em todo o país. Os trabalhos investigativos elaborados constituem atribuições específicas de polícia judiciária, sem vinculação a agremiações políticas. Ressalte-se que a Polícia Civil de Pernambuco é uma instituição bicentenária, considerada uma das mais eficientes do país, que exerce suas atribuições com louvor, compromisso e ética, tendo como elemento norteador o estrito esclarecimento da verdade dos fatos apurados.
Quanto à declaração do ex-secretário de Administração, que aduz que a ADEPPE lhe entregou uma lista com mais de 100 “supostos” policiais fantasmas, cumpre a esta Associação esclarecer que, durante as tratativas classistas junto ao governo foi entregue uma relação contendo os nomes de todos os 385 delegados ativos, distinguindo os que atuam na atividade-fim e na atividade-meio, no intuito de colaborar com a gestão da segurança, uma vez que, à época, os índices de criminalidade estavam altos e não havia sido efetivado qualquer recompletamento, o que veio a ocorrer tão somente com a nomeação dos aprovados no concurso público, em janeiro deste ano. Acreditamos, portanto, ter havido uma má interpretação da iniciativa da Associação por parte do ex-secretário de Administração.

Diretoria Adeppe